Sair da zona de conforto e ganhar o mundo

0
105

Adaptando-se em outras culturas.

Conheço muitas pessoas, amigos e parentes que nutrem o mesmo sonho dentro de si: se mover, sair da zona de conforto, conhecer o mundo.

Não apenas como turista, mas como expectador ou como um pesquisador.

Essa é uma excelente maneira de entender a vida através de outras culturas, longe do que vivemos e aprendemos ao longo de nossas vidas.

Nunca é tarde para encontrar um sentido novo para a vida.

Acho que a curiosidade dessas muitas pessoas em viver a vida, nem que seja por um breve período, distante de suas realidades e desfrutando de momentos raros e edificantes, deveria ser um exercício comum a todos, assim como fazem outras culturas no mundo que estimulam sua juventude a sair, viajar, conhecer pessoas e comparar culturas e condições de vida por aí a fora. Algo como um ano sabático.

Precisamos muito de experiências que nos façam refletir sobre para qual direção e significado estamos levando esta nossa breve passagem humana pela terra.

 Sonho e inquietude!

Apesar da filosofia aqui exposta, sei o quanto isso é inquietante e ao mesmo tempo um sonho muito distante para a maioria dos que nutrem este desejo.

Porém, afirmo com total tranquilidade que o ingrediente principal para transformar este sonho em realidade é a coragem de sair da zona de conforto e o desprendimento do que já realizou até aqui, pois com um bom planejamento e foco a parte financeira é fácil de viabilizar, só que a coragem para dar o primeiro passo e ganhar o mundo é a trava principal que impede sua realização.

Será mesmo que o melhor de mim esta aqui aonde estou?

O mundo esta cheio de possibilidades e alternativas onde cabem todos os desejos e condições, nada no mundo é caro ou impossível, tudo é plenamente viabilizável.

Comer, beber, dormir, descobrir, conhecer, se deslocar, há soluções econômicas ou sofisticadas para tudo isso, depende apenas da estrutura financeira de cada um, mas jamais isso impedirá quem quer seja de seguir em frente.

Depois de muitos anos viajando pelo mundo descobri algo que pra mim foi muito importante:

“Você sempre encontrará mundo a fora tudo que busca exatamente dentro do que você esta disposto e em condições de pagar”

Mas é necessário se debruçar em um notebook, pesquisar,  participar de fóruns e ler muito. Como falei antes, tem que ter muito planejamento e foco.

É preciso “cabeça aberta” e tolerância

Após este preâmbulo com essas importantes informações para quem deseja mudar um pouco o rumo de sua vida e viver novas experiências, devo confessar que a adaptação a uma nova cultura é uma etapa que requer uma dose muito elevada de desprendimento e “cabeça aberta”.

Não é interessante ficarmos fazendo comparações, pois, nossas óticas são baseadas em uma cultura que esta impregnada em nós desde que nascemos e, sendo assim, nunca teremos isenção para fazer uma análise honesta do que vemos e vivemos em um ambiente diferente.

Portanto, o melhor a fazer é buscar o conhecimento sobre como e por que aquele procedimento é daquela forma e não apenas por ser diferente do que normalmente fazemos em nosso país.

Dependendo do ângulo que você esta vendo, o mundo pode ter muitas cores, formatos e hábitos que nos farão questionar muitas das nossas convicções.

Por exemplo, na China é comum as pessoas cuspirem no chão e arrotarem em restaurantes ou elevadores, no Japão é normal tomarem sopas ou caldos fazendo um forte barulho de sucção do liquido junto à colher, adultos, jovens, velhos e até mesmo crianças, todos agem da mesma maneira.

Em compensação é quase impossível vermos alguém urinando na rua ou falando alto nos ônibus e metrôs, bebendo pela rua ou atirando coisas no chão.

Digo isso para explicar que muitas diferenças são apenas culturais e não merecem nenhum tipo de comentário, pois sempre avaliaremos essas atitudes sob a nossa ótica formada exclusivamente pelos nossos hábitos de vida em nossa cultura.

Regras e cultura são bem diferentes.

Aconselho a todos uma viagem de imersão em outras culturas e não uma viagem turística, mas para isso é necessário viver um tempo em cada local.

Sugiro algo como um mínimo de 30 dias, justamente para sair da situação de turista e minimamente se testar vivendo longe de tudo que você sempre teve, realmente buscar sair da zona de conforto.

É muito importante ir para um hostel com cozinha ou se puder, alugar um apartamento ou flat em um bairro residencial ou até mesmo hospedar-se na casa de um anfitrião local e compartilhar com ele sua rotina.

Dicas fundamentais para sair da zona de conforto

Jugo imprescindível viver em uma cidade culturalmente diferente da nossa; ir ao supermercado; cozinhar sua própria comida; viver uma rotina comum à deles;

andar pelas ruas; conhecer a vida comum em bairros mais afastados do centro turístico; andar de ônibus ou caminhar muito pelas ruas; entender o mecanismo de vida daquela cultura; aprender palavras do dia-a-dia no idioma local;

viajar ao interior; fazer amizades; conversar muito; frequentar lugares onde jamais um turista teria tempo de ir, já que uma viagem turística requer um roteiro pré-definido e sempre muito voltado aos ícones turísticos de cada destino.

Em resumo, observar com um olhar aberto e tolerante. Isso sim faz toda a diferença!

E como as diferenças ajudam!!!

Foi viajando assim que descobri muitas diferenças que me fizeram repensar muito a minha vida, hábitos e objetivos.

Tudo ficou muito mais claro hoje em dia. Percebi a grandeza do simples e a necessidade de ser feliz com o que temos e somos.

Aprende-se a pensar de forma mais coletiva e a se importar cada vez menos com o que a maioria julga importante e é desta maneira que a vida segue um fluxo diferente e realmente flui com muita leveza e boas perspectivas.

Cultura é cultura, não se questiona, se respeita.

Quanto mais viajo, menos preciso!

O mundo é uma universidade natural, onde a adversidade é a matéria que mais ensina o respeito pela vida e pelo seu semelhante, seja em que idioma for.

A diversidade cultural nos apresenta tantas formas de reflexão que quanto mais você viaja, conhece e vive, mais vontade de viver se tem.

É justamente isso que lhe dá a certeza de que a felicidade já esta dentro de nós há muito tempo, mas as experiências que o mundo irá lhe proporcionar podem ser o botão ativador e acelerador deste processo.

Portanto, quanto mais cedo tomarmos a difícil decisão de sair da nossa zona de conforto, mais rápido alcançaremos nossos objetivos de vida, mesmo que eles estejam exatamente no lugar de onde partiremos.

CARPE DIEM!!!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here